Neverland não não também não

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Resenha do Filme "Love, Simon"

Imagem de love simon, nick robinson, and katherine langford



  "Love, Simon" fala sobre um garoto que se descobre gay, mas que ainda não se assumiu, embota comece a se sentir inspirado para tal depois que começa a trocar e-mails com um garoto anônimo nas mesmas condições que ele. É um filme que se não me falassem da produção, eu provavelmente deduziria  ser da Netflix frente a temática jovem e LGBT, e, de fato, enquanto assistia no cinema senti-me como se estivesse no sofá da minha casa frente à fluidez e envolvimento com o mesmo.

  O enredo e gênero é ideal para quem gosta dos filmes adolescentes dos anos noventa, e a trilha sonora - que conta com The 1975, Troye e Panic! At The Disco - foi meu principal motivo para ir ver o longa. As atuações são boas, mas não há nada para se destacar uma vez que a trama não pede por isso. No entanto, gostaria só de trazer à tona a preguiça que se assumiu em relação à identidade visual da personagem de Katherine Langford, que não se diferenciou em quase nada de Hannah Baker, dando a impressão que estava assistindo 13 Reasons Why em diversos momentos.

  No que refere ao plot twist, temos alguns. É interessante a quebra de expectativa em relação ao garoto com quem Simon troca os e-mails, pois conforme o final se aproxima, esperamos algo clichê, no entanto, nada é como esperamos.

  Um filme fluido que garante o entretenimento e ideal para ver com um pequeno grupo de amigos, "Love, Simon" é a recomendação da vez. Aliás, se você pretender ver esse filme no cinema e mora em subúrbio, é bom se adiantar porque é sabido que não é o tipo de filme blockbuster que pequenos cinemas locais deixam em exibição por muito tempo.

0 comentários:

Postar um comentário

Popular Posts

Quem sou eu

Minha foto
Universitária, leitora ávida, autora nos tempos vagos, amante das artes.
Tecnologia do Blogger.