Neverland não não também não

sexta-feira, 10 de abril de 2015

As Memórias de Sherlock Holmes



  Esse foi, felizmente, o primeiro livro que eu li em 2015, e seguirá o mesmo esquema das últimas vezes que falei dos livros de Sherlock Holmes: um pequeno resumo dos contos. Demorei bastante para escrever sobre, mas está aqui afinal. Quando bati o olho nessa edição da Companhia Editora Nacional com o Sherlock e o John da série da BBC (Benedict Cumberbatch e Martin Freeman respectivamente) e ainda com o marca página, eu não consegui me segurar e comprei sim! Tem uma introdução bem legal do roteirista da série, Steve Thompson, e algumas ilustrações relativas no início e no final do livro. Recomendo muito essa edição linda, e pretendo ter também os dois outros livros da coleção por mais que eu já tenha lido (Um Estudo em Vermelho e As Aventuras de Sherlock Holmes). Aliás, tenho que reler boa parte dos livros de Sherlock Holmes, pois confesso que detalhes já me fogem à memória.


1- Silver Blaze

  Quando um cavalo de corrida favorito em uma competição desaparece e seu treinador é encontrado morto, Sherlock Holmes e seu caro amigo Watson partem para Dartmoor intentando desvendar o caso de Silver Blaze.


2- O Rosto Amarelo

  É um dos casos onde Holmes, excepcionalmente, erra na conclusão, mas acaba por ter-lhe a verdade revelada ao fim. O mistério se trata de um homem que se muda com sua esposa e fica intrigado com a casa do lado, tendo visto inclusive um rosto que lhe parecia terrível e amarelo em uma das janelas. Para intensificar ainda mais a situação, o homem ainda vê sua mulher entrar na casa e fica insano de preocupação e falta de compreensão. Este é um dos meus casos favoritos, pois a conclusão muito me agrada. Entretanto, não direi exatamente o porquê, pois, obviamente, seria entregar a resolução da história.


3- O Corretor de Ações

O conto começa quando Holmes busca Watson em seu consultório para que pudesse se juntar a ele em uma nova investigação. Em resumo, o sr. Hall Pycroft se candidata a um emprego na empresa mais rica de Londres e consegue a vaga, entretanto um desconhecido agente financeiro aparece e lhe oferece um outro emprego no qual ganharia uma quantia ainda maior. Ele começa a trabalhar nessa empresa, mas tudo lhe parecia muito misterioso e então passou a desconfiar de fraude. E então, para sanar suas dúvidas, este senhor procura o famoso detetive londrino.


4- O Gloria Scott

  Trata-se do primeiro caso de Holmes. Ele encontra uma velha mensagem enigmática enquanto revirava suas gavetas e começa a relembrar seus primeiros dias como detetive. Tal mensagem fora recebida pelo pai de um amigo que tivera na faculdade e o deixou extremamente abatido. Então, Sherlock e seu amigo Victor começam a tentar desvendar o mistério que ronda o pai do segundo e a compreender o tal bilhete.


5- O Ritual do Musgrave

  A família Musgrave possuía um antigo ritual, o qual todos os homens que atingissem a maioridade deveria realizar. Aparentemente, isto não era nada demais, porém um dos componentes da família começa a desconfiar dele a partir do momento que um funcionário começa a buscar informações e xeretar os documentos dos Musgrave. O homem é demitido e desaparece, o que deixa o Musgrave ainda mais intrigado, que logo busca a ajuda do detetive.


6- Os Proprietários de Reigate

  Sherlock não anda muito bem de saúde, e John resolve levá-lo para uma mudança de ares na casa de um amigo parecia uma boa ideia. Mas o irrequieto detetive logo encontra um novo caso para si quando casas da redondeza começam a ser arrombadas e invadidas.


7- O Homem Torto

  Um casal de meia idade têm uma discussão quando trancados em um cômodo de sua casa. Surpreendentemente, há gritos de terror vindo do casal logo em seguida, e os criados arrombam a porta a fim de socorrê-los caso algo grave tenha acontecido. Porém, quando chegam ao local já é tarde e o homem está morto e a mulher desmaiada. Sherlock Holmes é o responsável por desvendar não apenas o assassino mas também como ele entrara no cômodo trancado e também algumas outras peculiares evidências.


8- O Paciente Residente

  Um médico se vê confundido  quando um paciente com constantes ataques de catalepsia o procura e logo em seguida desaparece de seu consultório. Depois de encontrá-lo novamente, como se não bastasse a desconfortável situação anterior, novo momento incomum acontece, quando o paciente alega que alguém entrara em seu quarto. Resta para o eficiente detetive desembaralhar os acontecimentos dessa história.


9-  O Intérprete Grego

  Um intérprete grego é praticamente sequestrado para que pudesse oferecer seus serviços de tradução para clientes muito suspeitos, que mantinham um outro grego como refém. Encabulado com a situação, assim que se vê livre, procura o auxílio de Holmes.


10- O Tratado Naval

  Um antigo amigo de Watson lhe envia uma carta pedindo a ajuda dele e de Sherlock para solucionar um grande problema seu, que tivera furtado um documento de extrema importância para o Ministério do Exterior.


11- O Problema Final

  Esse, sem dúvida nenhuma, é um dos casos de maior importância entre os contos do detetive. Tentar resumir essa história seria provavelmente um enorme spoiler, porém, se você já viu os filmes, séries ou ao menos já ouviu falar com um pouco mais de profundidade sobre o detetive de Arthur Conan Doyle, garanto que você sabe do acontecimento. Prosseguindo. Watson e seu amigo partem em uma missão que intenta, enfim, capturar o professor Moriarty, conseguindo incriminar a ele e seus subordinados. Todavia, eles estão lidando com um indivíduo de enorme inteligência e não é assim tão simples. Sherlock Holmes, então, se sacrifica pelo bem comum e morre lutando junto com Moriarty. A cena em si, não é narrada por Watson, que não estava lá quando o acontecimento se deu. Porém, o médico deduz os fatos, seguindo o exemplo de seu amigo. E ainda mais comovente que isso é a incrível carta que Holmes deixa para seu companheiro. Futuramente, pretendo falar um pouco mais sobre minhas concepções sobre esta carta. De qualquer forma, Conan Doyle pretendia encerrar as aventuras do detetive mais querido do mundo neste conto, ainda que o mundo não o tenha permitido fazê-lo. Mas digo que se tivesse que acabar ali, estaria bem feito, porque, em dúvidas nenhuma, é um desfecho maravilhoso.

0 comentários:

Postar um comentário

Popular Posts

Quem sou eu

Minha foto
Universitária, leitora ávida, autora nos tempos vagos, amante das artes.
Tecnologia do Blogger.