Neverland não não também não

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Love Never Dies


I loved you, I'd have followed any where you led. ♥



  Love Never Dies é um espetáculo feito pelo grande Andrew Lloyd Webber e alguns contribuintes. Eu assisti à versão australiana feita para DVD com Anna O'Byrne, que tem uma voz muito boa, e Ben Lewis, que não é um Phantom ruim mas que não me trouxe toda a aura que ele possui.
 
  A história seria uma continuação para The Phantom Of The Opera, o que nem mesmo Gaston Leroux fez (o que é muito pretencioso). Passa-se dez anos após os incidentes do último espetáculo. Christine tem um filho com Raoul, que agora é um previsível alcoólatra, e por algum motivo a família vai para Coney Island. Lá eles são convidados a visitar um parque curioso que conta, inclusive, com um Freak Show, que pertence a ninguém menos do que o Phantom. Lá eles também encontram Madame e Meg Giry e tudo parece muito bem até algumas verdades virem à tona. Christine é uma mãe tão boa que a comparo com Mary Darling, e a soprano nunca esteve com o gênio tão forte agora que ela não tem nenhum tipo de temor quanto ao Phantom. Conta também com cenários maravilhosos, e dos figurinos então nem se fala!
 
  Entretanto, Love Never Dies não são mil maravilhas. Antes mesmo de ser apresentado pela primeira vez recebeu críticas duras dos próprios fãs desconfiados da continuação. E depois dos críticos por ser apenas um sopro do que The Phantom Of The Opera é. Minhas opiniões a respeito também são negativas em muitos aspectos. Só para começar, o fato de o Phantom ter um Freak Show é hipocrisia pura e algo impensável. Para quem não sabe, ele fugiu de um deles, onde era humilhado diariamente, para a Opera. E depois que ele sai da Opera, voltar para um lugar desses, e, pior, ser dono de um Freak Show é absurdo! Essa versão australiana corta a parte dos autômatos, que é referente até mesmo à principal capa de divulgação de Love Never Dies! E ainda veste a Christine de pavão macho - sim, porque o pavão azul bonito é sempre o macho -, animal que não me parece ter nada a ver com a personagem. Também tenho muitas outras coisas a falar, mas seria spoiler, então vou poupá-los.
 
  Eu não achei a versão inteira com Sierra Boggess e Ramin Karimloo para assistir, mas busquei por alguns dos trechos e me pergunto por que não gravaram o DVD com eles. Esses dois têm uma interação incrível, e suas vozes individualmente são maravilhosas, mas juntas parecem perfeitas! É como se tivessem nascido para cantarem juntos.
 
 
.
 
 
  A trilha sonora continua sendo incrível. Se quer uma degustação ouça Once Upon Another Time, Till I Hear You Sing, Love Never Dies (só a letra é de fazer chorar) e Beneath a Moonless Sky. Esta última é minha favorita, e assim que escutei fiquei espantada porque eu a cantarolava antes mesmo de ouvi-la pela primeira vez. Gosto também de associar as músicas desse espetáculo ao outro, e nisso Andrew não falhou.
 
  A maioria dos fãs de The Phantom Of The Opera gosta de fingir que Love Never Dies nunca aconteceu (principalmente por causa do final, além dos outros furos na história). Se você gosta do final da história anterior, não assista Love Never Dies. E se você assistir, veja TPOTO de novo e finja que LND é uma história completamente diferente.
 
  Eu não posso dizer que me arrependo de assistir Love Never Dies, porque a trilha sonora é incrível, ver o Phantom e a Christine de novo é revigorante, Sierra e Ramin interpretando e cantando juntos novamente é maravilhoso e há cenas de tirar o fôlego. Então, na minha mente, tudo que me desagradou imaginei como uma fanfic boba, e anexei tudo o que gostei e tomei como real.

2 comentários:

  1. O Fantasma da Ópera foi (é) um grande clássico, tanto em quesito literatura, quanto em aspectos teatrais, cinematográficos ou musicais.
    Nunca assisti à essa "continuação", mas como você disse, melhor imaginar que foi uma fanfic boba, haha. Ok, quem sou eu para julgar? Mas acredito que toda a essência do Original não poderá ser transposta em uma continuação. São nacionalidades diferentes, autores/roteiristas diferentes quem fizeram as obras.

    Mesmo assim, vou dar uma conferida qualquer hora.

    Até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem somos nós para julgar? Dei minha opinião de leiga que ama The Phantom Of The Opera porque sei que muita gente, assim como eu se decepcionou com Love Never Dies, e eu me senti na obrigação de avisar à "Phandom" que pretende assistir.

      Excluir

Popular Posts

Quem sou eu

Minha foto
Universitária, leitora ávida, autora nos tempos vagos, amante das artes.
Tecnologia do Blogger.